Home

A história que apresentamos esta semana é inspiradora por toda a sua trajetória, pelas descobertas, dificuldades, tristezas e alegrias. A Cecília Furtado é paulistana, filha de um brasileiro e de uma portuguesa, tem 20 e tantos anos e está no melhor ano de sua vida. Ela é aquela pessoa cheia de energia, criativa, imaginativa e que contagia qualquer um (até pelo Skype quando fizemos a entrevista!).

?????????????????????????????????

“Acredito que o aprendizado é fundamental. Não devemos ter medo do desconhecido. É preciso aprender novas lições, conhecer outras pessoas, lugares e situações. Vença diariamente os seus medos e corra atrás de nossos sonhos. Tenha certeza de que, por pior que seja a fase, as coisas sempre mudam para melhor. ” – Cecília Furtado.

Desde a infância, a escrita sempre chamou a atenção da Cecília. Ela era muito imaginativa, adorava pensar, inventar e criava inúmeras histórias em sua cabeça. Uma das coisas que ela mais gostava no colégio era redação e, com 8 anos, criou uma série de livrinhos repletos de significado.

Com 13 anos, a Cecília mudou de escola e, pela primeira vez, teve contato com um mundo novo, em que era preciso se adaptar. Ela passou a adquirir o hábito da leitura, desvendando a linguagem e o mundo de diferentes autores. No novo colégio, a Cecília começou a participar das peças de teatro como atriz, mas o que ela queria mesmo era escrever as histórias que seriam apresentadas. Nesta época, ela leu o livro Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva, e se encantou de tal forma que passou a ter o autor como um ídolo.

Um dos hobbies da Cecília é viajar. Esta foto foi tirada no Deserto do Sal, em um mochilão que ela fez em 2011 pela América Latina.

Um dos hobbies da Cecília é viajar. Esta foto foi tirada no Deserto do Sal, em um mochilão que ela fez em 2011 pela América Latina.

O tempo foi passando e chegou o ano do vestibular. A Cecília ainda não fazia ideia do que cursar. Ela estudava espanhol e levava o curso muito a sério, adorava aprender o idioma. Quando fez aniversário, ganhou de sua família um intercâmbio! Era o que precisava para aperfeiçoar a segunda língua.

Ela estava vivendo uma época socialista e exercia forte liderança no colégio, por esse motivo, decidiu que gostaria de estudar espanhol em Cuba ou outro país da América Latina. A sua mãe foi contra a ideia e propôs que ela só iria se fosse para a Espanha. Um pouco contrariada, a Cecília aceitou a condição, seria isso ou nada, e foi para Valencia por 2 meses.  Após o intercâmbio, a Cecília passou alguns dias em Portugal, terra natal de sua mãe. A viagem toda foi um enorme aprendizado, ela passou a ter novas visões de mundo, além de muitos amigos.

Com os colegas de sala em seu intercâmbio na Espanha.

Com os colegas de sala em seu intercâmbio na Espanha.

Feliz com a experiência e com os aprendizados, a Cecília voltou para o Brasil e decidiu dar aulas de espanhol como hobby. Em paralelo, ela continuava estudando para o vestibular. Como gostava muito de escrita, leitura e idiomas, os seus pais a incentivaram a estudar Letras. Decidida, ela prestou vestibular para algumas universidades e foi aprovada!

Ela tinha como objetivo cursar em uma universidade do interior e vivenciar um pouco das histórias que sempre lera em Feliz Ano Velho. Aprovada na Unesp, e sem pensar duas vezes, a Cecília foi correndo para a cidade de Assis, interior de São Paulo. O enfoque do curso do Câmpus de Assis era a Literatura, o que a Cecília mais gostava!

Cecília no Câmpus da Unesp em Assis.

Cecília no Câmpus da Unesp em Assis.

Quando ela chegou à cidade, se deparou com as diferenças entre a capital e o interior. Além do mais, era preciso aprender a se virar sozinha. A adaptação não foi nada fácil, mas estava encantada com os professores e as aulas, a cada semestre ela gostava ainda mais do seu curso!

Ao final da faculdade, o seu pai faleceu e foi um momento de muita tristeza para a sua família. Depois de quase um ano após retornar para São Paulo, mais um episódio ruim, o término de seu namoro. O rompimento foi extremamente doloroso, afinal, o relacionamento não era saudável. Junto ao falecimento de seu pai, trouxe para a Cecília uma depressão profunda, que durou um ano e meio. Neste período, as dificuldades e desafios foram grandes. Ela passou a ter o acompanhamento de um psicólogo e de um psiquiatra para que pudesse retomar a vontade de viver.

Neste período, como uma forma de buscar forças em outras atividades e mudar de ares, ela decidiu romper com tudo que fizera até então. E testou diferentes atividades: trabalhou em eventos, como garçonete em um restaurante, assistente administrativa em uma empresa de Networking, monitora em acampamento e até um trabalho no Perú. Em paralelo, ela continuava escrevendo. Ela aceitou todas as experiências, pois queria conhecer um pouco de cada coisa e se encontrar. Com isso, a Cecília aprendeu a lidar com diferentes públicos e perfis, conheceu pessoas inspiradoras e lugares interessantes..

Um tempo depois, a Cecília decidiu morar sozinha. Quando se mudou, o seu vizinho de porta se tornou um grande amigo. Ele é jornalista, diretor artístico e tem um programa de entrevistas num canal da internet. Conversando, eles se deram muito bem e descobriram ter muitos interesses em comum. Ele a ajudou a encontrar foco na carreira. Depois de ler os seus textos, ele reconheceu o seu trabalho como escritora e a apoiou a escrever um livro. Foi então que a Cecília decidiu sair do seu emprego e focar totalmente na sua obra. Ela buscou ajuda para escrever, foi atrás de fotógrafos que pudessem ilustrar a sua obra e também de editoras que pudessem se interessar em publicar o seu livro. Assim, nascia “A Paulistana da gema – um livro de contos, crônicas e poesias da terra da garoa”.

O livro Paulistana da Gema, da Cecília Furtado.

O livro Paulistana da Gema, da Cecília Furtado.

Para escrever o seu livro e conseguir publicá-lo foi preciso superar diversos medos, crenças e também as frustrações do passado. Algumas pessoas não a apoiavam muito no início. A confiança no que a Cecília amava fazer, foi fundamental para enfrentar tudo isso.

O livro A Paulistana da Gema foi lançado no dia 15 de maio deste ano em uma grande livraria em São Paulo e tem mais dois lançamentos e sessões de autógrafos previstos em agosto. Hoje, a Cecília afirma com toda a certeza que está na área em que sempre quis.

Cecília com o seu ídolo Marcelo Rubens Paiva. Ela enviou para ele parte de seus textos e ele adorou. Em seu livro está a recomendação.

Cecília com o seu ídolo Marcelo Rubens Paiva. Ela enviou para ele parte de seus textos e ele adorou! Na Paulistana da Gema esta a recomendação do escritor.

Na sua vida pessoal, também tiveram muitas mudanças. A Cecília encontrou uma pessoa que consegue dividir todas as suas experiências e lhe dava apoio incondicional. Eles estão de casamento marcado e, no próximo semestre, irão morar em Portugal. Lá, ela também irá lançar o seu livro em setembro na Biblioteca Municipal de Faro. Ela pretende ficar em Portugal por um período e escrever um novo livro, além de conhecer muitos países!

E você, tem alguma paixão desde a infância? Qual hobby ou interesse você conseguiria aliar a sua profissão?

Cecília Furtado

Cecília, adoramos que você compartilhou a sua história com a gente! Desejamos todo o sucesso em sua carreira como escritora, que você possa ser cada dia mais feliz em sua profissão 🙂

Anúncios

2 pensamentos em “Cecília Furtado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s